Covid-19: o vírus descoberto mutante dentro de um bebê contaminado durante a gravidez

Médicos descobriram, pela primeira vez, um bebê nascido com o coronavírus. O recém-nascido foi infectado enquanto estava no ventre de sua mãe. Além disso, outros sequenciamentos genéticos que ocorreram após seu nascimento mostraram que ele carrega tanto a cepa viral original da mãe quanto uma versão mutante do vírus.

No entanto, o bebê não apresentou sintomas graves, seu sistema imunológico parece ter neutralizado o vírus.

Créditos Gerd Altmann – Pixabay.com

A mãe, ainda grávida, sofreu subitamente uma forte dor abdominal. Ela foi levada às pressas para o Hospital Universitário Skåne em Malmö, Suécia. Para não perder o bebê, foi necessário fazer o parto rapidamente, realizando uma cesariana. Os testes confirmaram então que a criança estava infectada com o coronavírus muito antes de nascer.

É também o primeiro caso conhecido de modificação genética do Coronavírus no contexto da transmissão mãe-feto. Essa mutação (chamada A107G) começou apenas cinco dias após o nascimento do bebê, o que é no mínimo surpreendente.

Confirmada a possibilidade de transmissão intrauterina do Coronavírus?

Quando ele nasceu, o bebê tinha uma frequência cardíaca e oxigenação particularmente baixas, o que alarmou os médicos. Ele foi então diagnosticado com insuficiência placentária e batimentos cardíacos fetais anormais. Testes posteriores revelaram que ele era covid.

Quatro dias após o parto, a mãe se recuperou muito bem da infecção. Por sua vez, o bebê foi submetido a cuidados neonatais, pois nasceu prematuro.

“Meus colegas e eu fazemos parte de uma equipe de pesquisa no hospital. Descobrimos que o genoma viral da mãe e do bebê eram idênticos. No entanto, o bebê foi isolado diretamente da mãe e de qualquer outra pessoa após a cesariana. »

Mehreen Zaigham, bolsista de pós-doutorado em obstetrícia e ginecologia no Skåne University Hospital, Lund University

Gestantes infectadas com Covid-19 são grupo de risco

A função da placenta é trazer sangue e nutrientes para o feto, eliminando quaisquer resíduos. É essencial para o crescimento e bem-estar do mesmo. No entanto, os pesquisadores descobriram que os tecidos da placenta do bebê covid estavam parcialmente danificados. Havia proteínas de coronavírus próximas à placenta, feto e outras áreas inflamadas.

Este caso estabeleceu que o Coronavírus pode danificar a placenta e causar falta de oxigênio ao feto. Também pode-se inferir que a transmissão intrauterina é suscetível de complicar a condição de gestantes infectadas.

“A partir de agora, gestantes com coronavírus devem ser consideradas grupo de risco. Sua saúde deve ser monitorada. »

Mehreen Zaigham

Artigos Relacionados

Back to top button