Covid-19: imunidade coletiva contra o vírus, não será tão cedo segundo a OMS

Desde a confirmação da primeira morte pelo vírus SARS-CoV-2 em Wuhan (China) há um ano, mais de 91 milhões de casos de COVID-19 foram registrados e mais de 1,94 milhão de mortes foram registradas.

Diante de uma preocupação justificada, alimentada pela circulação global de novas cepas sobre as quais ainda não se sabe muito, muitos países iniciaram campanhas de vacinação em massa. E, por sua vez, as empresas farmacêuticas estão trabalhando para aumentar sua produção de vacinas anti-COVID-19.

Tudo isso dá esperança de um retorno ao normal. No entanto, a OMS Advertiu que apesar de tudo, a imunidade coletiva contra o vírus SARS-CoV-2 não será alcançada este ano.

Acelerando a vacinação sob a ameaça da variante britânica

Segundo relatos, Rússia e México acabam de relatar seu primeiro caso de infecção com a nova variante britânica do vírus. E do outro lado do planeta, o Japão também declarou um caso de infecção.

Na Europa, vários estados impuseram medidas mais rigorosas para lidar com a ameaça, enquanto outros países, incluindo África do Sul, Portugal e Líbano, adotaram medidas de bloqueio pesadas.

Quanto aos países gravemente afetados por esta pandemia, as autoridades estão a trabalhar para vacinar a população em massa. Assim, a Grã-Bretanha abriu sete locais de vacinação em massa em todo o país, enquanto na Índia as vacinas começarão neste fim de semana para 1,3 bilhão de pessoas.

Ainda teremos que esperar pela imunidade de rebanho ao vírus

Recentemente, o cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan, elogiou a comunidade científica pelo “progresso incrível” que fizeram no desenvolvimento de várias vacinas seguras e eficazes contra o COVID-19 em menos de um ano.

No entanto, ela ressaltou que será preciso um pouco de paciência para conseguir vacinar a maioria da população humana. Especialmente porque estamos falando de bilhões de doses de vacinas necessárias, e isso necessariamente leva tempo. Assim, a imunidade de rebanho não será garantida este ano.

Enquanto isso, ela pede a todos que sempre respeitem as medidas de proteção, como distanciamento físico, lavagem das mãos e uso de máscaras pelo menos até o final deste ano, a fim de limitar a transmissão do vírus.

Artigos Relacionados

Back to top button