Covid-19: a vacina Moderna autorizada pela FDA

o Covid-19 ainda está lá, mais virulento do que nunca. Apesar das medidas implementadas em muitos estados, a situação continua preocupante. A Itália está se preparando para uma terceira onda, enquanto uma nova mutação do vírus apareceu no Reino Unido e na África do Sul. Mutação muito mais virulenta que a anterior.

Na França, o segundo confinamento em vigor não parece estar dando os resultados esperados, com mais de 15.000 novos casos e centenas de mortes todos os dias.

créditos pixabay

Ao todo, em nosso país, mais de 60.000 pessoas perderam a vida desde o início da epidemia. O que deixa tantas famílias enlutadas.

FDA libera vacina da Moderna

No entanto, há esperança. Até o momento, várias vacinas candidatas mostraram sinais encorajadores. Em particular as baseadas em ARN, nomeadamente a vacina da Pfizer/BioNTech e a da Moderna.

É precisamente este último que está em questão aqui.

A Food and Drug Administration (FDA) anunciou neste fim de semana que liberaria a vacina da Moderna para uso emergencial. Depois da vacina Pfizer/BioNTech, a vacina da Moderna é, portanto, a segunda a ser autorizada pelos reguladores dos EUA.

Além disso, o FDA indica em seu comunicado de imprensa que esta vacina pode ser administrada a todas as pessoas que vivem nos Estados Unidos e maiores de 18 anos. Por sua vez, as autoridades planejam enviar 5,9 milhões de doses em todo o país para realizar uma primeira campanha de vacinação.

Uma primeira campanha de vacinação antes do final de dezembro

De acordo com a Warp Speed, 20 milhões de americanos devem poder receber uma ou outra das vacinas autorizadas em dezembro, ante 30 milhões em janeiro e 50 milhões em fevereiro.

Cada estado tem seu próprio calendário de vacinação, mas as primeiras doses devem, sem surpresa, ser atribuídas a cuidadores e pessoas que vivem em asilos. Professores, bombeiros e policiais podem se beneficiar disso. Quanto ao público em geral, eles terão que esperar até o final da primavera ou início do verão. O que também significa que os americanos terão que continuar adotando gestos de barreira até o próximo ano.

No entanto, o jogo não está ganho. As vacinas da Pfizer/BioNTech e Moderna devem ser armazenadas em temperaturas muito baixas, o que dificulta sua distribuição.

E para a Europa?

Na Europa, a luz verde deve ser dada em breve. Assim, as primeiras campanhas de vacinação poderão começar antes do final de dezembro.

Parece também que as casas de repouso estão começando a preparar o terreno na França. E-mails foram enviados aos familiares dos moradores para informá-los sobre os procedimentos a serem seguidos antes que eles possam se beneficiar de uma vacina.

Por outro lado, de acordo com a cartilha que acompanha esses e-mails, uma cartilha produzida pelo Ministério, as primeiras vacinas não devem ser feitas antes do ano que vem.

Artigos Relacionados

Back to top button