Covid-19: a nova cepa difundida nos hospitais americanos

Pesquisadores descobriram uma mutação do vírus SARS-CoV-2, responsável pela Covid-19. Essa nova variante da doença, chamada D614G, foi detectada no final de fevereiro de 2020 em várias regiões do mundo. Estudos revelaram que essa mutação pode ser mais contagiosa do que a forma original do Covid-19.

Nos últimos meses, pesquisadores notaram uma forte presença dessa variante do Coronavírus na América do Norte, Ásia e Europa. Segundo dados fornecidos por cientistas, a mutação D614G é responsável por 85% dos casos de Covid-19 em todo o mundo.

Fernando Zhiminaicela / Pixabay.com

Um estudo recente de pesquisadores da Universidade do Texas em Austin (Estados Unidos) nos diz que essa nova cepa de Coronavírus está muito difundida nos hospitais americanos.

Uma cepa presente em 5.000 pacientes com Covid-19

Os pesquisadores estudaram os casos de 5.000 pacientes com Covid-19 que foram internados em um hospital em Houston, Texas. As análises mostraram que 99,9% deles estavam infectados com a mutação D614G do Coronavírus.

Segundo especialistas, esses números confirmam a hipótese de que essa variante do Covid-19 é mais contagiosa do que a cepa original. Atualmente, os pesquisadores estão tentando descobrir por que essa mutação se tornou a forma mais comum de SARS-CoV-2. Segundo as primeiras teorias dos cientistas, isso se deve ao fato de promover a multiplicação do vírus no trato respiratório superior. A transmissão seria então facilitada quando a pessoa espirra, tosse ou até fala.

Entenda melhor a mutação D614G

Desde o surgimento do Covid-19, os pesquisadores vêm rastreando novas variantes do vírus. No início da pandemia, descobriram a existência de uma variante conhecida como “estirpe D”. Surgiu então a mutação D614G.

Ocorreu na posição 614, na região codificadora da proteína spike (S). Essa mutação resultou na substituição do aminoácido D614 (ácido aspártico) pelo aminoácido G614, que corresponde à glicina. Os pesquisadores acreditam que essa mutação apareceu pela primeira vez na Europa, antes de se espalhar por todo o mundo.

A cidade de Nova York também é muito afetada por essa variante do Coronavírus. Um estudo publicado em setembro de 2020 indicou que 99% dos casos de Covid-19 registrados nesta cidade foram causados ​​pela cepa D614G.

Artigos Relacionados

Back to top button