Conflito diplomático EUA-Turquia: Reycep Teyepp Erdogan pede boicote ao iPhone

Os Estados Unidos e a Turquia sempre se deram muito bem até recentemente. A detenção de um pastor evangélico americano em solo turco foi o principal argumento das hostilidades. Muito rapidamente, os Estados Unidos impuseram sanções, incluindo a imposição de direitos aduaneiros sobre todos os produtos turcos destinados ao mercado americano.

A disputa diplomática teve um sério impacto na economia da Turquia. A taxa de câmbio é muito baixa e o presidente turco Recep Tayyip Erdogan tomou medidas drásticas. Ele anunciou que o país vai lançar suas próprias marcas de telefones. O líder até incentivou as pessoas a comprar telefones Vestel Venus que são produzidos localmente.

O Vestel Venus Z20 está, portanto, em processo de substituição do iPhone. Deve-se notar que o boicote diz respeito a todos os produtos americanos em território turco.

Foco em Vestel

Vestel é uma das marcas líderes na Turquia. A start-up produz principalmente bens de consumo em grandes quantidades. Estes incluem smartphones, televisores e máquinas de lavar, entre outros. A empresa está particularmente orgulhosa de seu telefone de última geração chamado Vestel Venus Z20, que custa cerca de US$ 280.

O Vestel Venus é, portanto, chamado para competir, mais precisamente para suplantar, o iPhone na Turquia. Este modelo é composto por um processador Qualcomm Snapdragon 630, 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento interno, o terminal vem com Android 8.1 Oreo e câmeras de 5 e 16 megapixels.

O chamado ao patriotismo

Na Turquia, as demonstrações de patriotismo são muito comuns, especialmente quando se trata de restaurar a economia do país. Desde as disputas com os EUA, a Vestel registrou um aumento de 5% em suas ações. Apesar do fervor dos turcos, muitos se perguntam se é possível boicotar os produtos ocidentais, já que os componentes dos smartphones da Vestel são importados dos Estados Unidos.

Não é a primeira vez que a decisão de Donald Trump influencia o futuro de um país ou de uma empresa. A multinacional chinesa ZTE, por exemplo, chegou perto da falência por causa da sanção que a impediu de comercializar seus produtos nos EUA.

Neste caso, porém, empresas como a Vestel ainda dependem de fornecedores norte-americanos. Isso corre o risco de colocar o fabricante em uma situação complicada.

Artigos Relacionados

Back to top button