Com a missão Lisa Pathfinder, a Europa enfrenta ondas gravitacionais

EU’ESA lançará em breve um novo satélite da base espacial Kourou na Guiana Francesa. Lisa Pathfinder não vai observar a Terra ou qualquer outro planeta. Não, na realidade, testará tecnologias para preparar outra missão prevista para 2030, uma missão que incidirá na observação de ondas gravitacionais.

Se este termo não evoca nada em você, saiba que as ondas gravitacionais são oscilações da curvatura do espaço-tempo. Eles foram mencionados pela primeira vez por Albert Einstein em 1918, no âmbito da teoria da relatividade geral.

Lisa Pathfinder

Não vou entrar em detalhes, mas de acordo com essa teoria, a gravidade vem da curvatura do espaço-tempo e mais precisamente da curvatura causada por objetos que têm massa.

A ESA tem uma paixão de longa data por ondas gravitacionais

A ideia é basicamente bastante simples, pois quanto maior a massa de um objeto, maior a curvatura produzida. Como consequência direta, a gravidade também é mais forte.

Ainda de acordo com a teoria de Einstein, a curvatura do espaço-tempo também é suposta ajustar para refletir a posição desses objetos, mas ele também pensou que objetos se movendo em alta velocidade poderiam causar uma perturbação do espaço-tempo e, assim, causar uma onda gravitacional, um pouco como as ondas formadas na superfície de um lago quando uma pedra é jogada nele .

Se você quiser saber mais sobre a teoria da relatividade, pode consultar o artigo publicado na Wikipedia ou o vídeo de Ryan Chester. Ela é muito bem feita, e ela até ganhou o primeiro prêmio dele no Breakthrought Junior Challenge no mês passado.

Seja como for, todos os programas de pesquisa lançados para tentar detectar essas famosas ondas gravitacionais terminaram em fracassos amargos.

A Agência Espacial Europeia decidiu, portanto, realizar um estudo do espaço com a missão eLISA. Será baseado em três satélites colocados em órbita heliocêntrica cujo lançamento está previsto para 2030. Mas antes de chegar lá, terá que preparar o terreno e realizar vários experimentos com base em um satélite bastante especial: Lisa Pathfinder .

A missão Lisa Pathfinder validará o método de medição previsto para eLISA

Conforme indicado acima, em breve será lançado da base de Kourou na Guiana usando um foguete Vega. Ele será lançado em órbita baixa e seus motores permitirão que ele se afaste da Terra para chegar ao ponto de Lagrange, localizado a aproximadamente 1,5 milhão de quilômetros do nosso planeta.

Ele deve chegar lá próximo janeiro e então começará sua missão de avaliação.

O satélite carrega vários instrumentos de medição, é claro, mas acima de tudo abriga dois cubos feitos de ouro e platina. Cubos colocados em levitação em cavidades separadas por uma distância de 38 centímetros. Um laser avaliará em tempo real a distância entre esses dois elementos e medirá cada variação.

A ideia não é procurar detectar ondas gravitacionais, mas sim validar o método de medição previsto pela ESA. Se a operação for bem-sucedida, a missão eLISA poderá ser iniciada.

Por fim, deve-se notar que o lançamento do Lisa Pathfinder estava inicialmente previsto para 2 de dezembro, mas a ESA decidiu adiá-lo por alguns dias devido a um problema técnico com o lançador Vega. Toda a informação está aqui.

Artigos Relacionados

Back to top button