Cientistas entregam drogas, luz diretamente para as células do cérebro

Cientistas entregam drogas, luz diretamente para as células do cérebro

Os cientistas desenvolveram uma nova abordagem para manipular células cerebrais usando um smartphone e um implante cerebral. A equipe de cientistas da Coréia e dos EUA se uniu para criar um implante neural macio, capaz de fornecer vários medicamentos e luzes coloridas diretamente para as células cerebrais. Acredita-se que o dispositivo tenha usos no tratamento de doenças cerebrais como Parkinson, Alzheimer, dependência, depressão e dor.

O dispositivo implantável suave pode controlar circuitos neurais e é controlado usando Bluetooth de baixa energia e um smartphone. O dispositivo neural sem fio usa um cartucho de drogas substituível do tipo Lego e pode atingir neurônios de interesse específicos usando luz e drogas por períodos prolongados. Os pesquisadores dizem que o implante sem fio permite neuromodulação química e óptica crônica que não foi alcançada com outros dispositivos.

A equipe afirma que outras abordagens para administrar medicamentos e terapia com luz diretamente no cérebro envolvem o uso de tubos rígidos de metal e fibras ópticas. O problema dessas abordagens é que o equipamento limita o movimento do paciente e, com o tempo, a estrutura rígida leva a lesões no tecido mole do cérebro. Os cientistas resolveram isso com o novo dispositivo que inventaram que não requer equipamentos volumosos e controles complexos.

A equipe acredita que o dispositivo pode permitir o estudo dos mesmos circuitos cerebrais por vários meses sem se preocupar com a falta de medicamentos, graças aos cartuchos substituíveis. Em experimentos, a equipe de cientistas implantou o dispositivo no cérebro de ratos usando uma sonda macia e ultrafina, da espessura de um cabelo humano.

A sonda possui canais microfluídicos e pequenos LEDs menores que um grão de sal que permitem doses ilimitadas de medicamentos e entrega de luz. A equipe acredita que o dispositivo ajudaria o mundo médico a desenvolver novas maneiras de tratar a dor, o vício e os distúrbios emocionais.

0 Shares