Cientistas desenvolveram um plástico biodegradável à base de plantas tão forte quanto o PET

A busca continua para encontrar alternativas ao plástico que está se tornando cada vez mais prejudicial ao meio ambiente. TEM EPFL ou Escola Politécnica Federal de Lausanneos cientistas desenvolveram um material plástico semelhante ao PET mas que é feito de resíduos vegetais. Esse bioplástico pode ser reciclado quimicamente, mas também é um material ecológico, pois se degrada em açúcares quando deixado na natureza.

Segundo os cientistas, a força do novo material vem da lignina que é um biopolímero encontrados na membrana sólida das células vegetais. Em trabalhos anteriores, a equipe por trás do novo bioplástico havia desenvolvido um método de cozinhar usando produtos químicos baratos para obter um extrato de lignina estável a partir de materiais vegetais. Para este novo estudo, outro produto químico foi usado para produzir um bioplástico mais versátil.


Cristais bioplásticos
Créditos Lorenz Manker

Segundo as explicações de Lorenz Manker, primeiro autor, a técnica, que se baseia no uso de um aldeído diferentepossibilitou transformar em plástico até 25% a massa de resíduos agrícolas, ou 95% açúcar purificado.

As propriedades do produto obtido

O bioplástico que foi produzido com a nova técnica não desmerece em suas propriedades. Ele pode de fato suporta temperaturas de até 100°Ce tem um resistência à tração até 77 MPa. Sobre a rigidez, pode ir até 2.500 MPa.

Os resultados dos testes também mostraram que o bioplástico formou uma barreira sólida contra oxigênio e vapor de água. Com sua versatilidade, pode ser utilizado na fabricação de filmes para embalagens, filamentos para impressão 3D, ou mesmo fibras que podem ser utilizadas na área têxtil.

Um material ecológico

Segundo os pesquisadores, o novo bioplástico é ecologicamente correto, pois pode ser reciclado quimicamente usando mesmos processos usados ​​para plástico PET. Se o bioplástico for encontrado na natureza, ele se degradará em açúcares vegetais em vez dos microplásticos usuais.

Muitos pesquisadores e empresas estão atualmente trabalhando para encontrar a fórmula do bioplástico que um dia possa substituir o plástico tradicional. Para os cientistas por trás deste novo estudo, seu processo é mais simples do que outros. Os produtos químicos necessários para a fabricação também são baratos e já predominantes.

Vamos esperar para ver se esse novo bioplástico um dia fará parte dos materiais que substituirão o plástico PET clássico.

FONTE: newatlas

Artigos Relacionados

Back to top button