Canon EOS R5, Canon EOS R6, 600mm, 800mm, o retorno da marca vermelha

canhão ele perdeu a vez do híbrido? Talvez, mas isso foi antes. A marca vermelha está mesmo de volta e pretende dar a conhecer. Assim, a empresa acaba de apresentar, sucessivamente, as Canon EOS-R5 e a Canon EOS R6duas caixas extremamente promissoras.

Eles vão demorar muito, mas finalmente estão aqui. As duas novas câmeras híbridas de ponta da Canon acabam de ser oficializadas e não fazem concessões.

A Canon EOS R5, um corpo soberbo para fotógrafos e cinegrafistas

Canon EOS R5: o corpo definitivo?

A Canon EOS R5, para começar desde o início, é uma caixa de superlativos. Equipado com um sensor full frame de 45 milhões de pixels, é animado por um DIGIC X e beneficia ainda de Dual Pixel CMOS AF II, com uma sensibilidade entre 100 e 51.200 ISO e uma velocidade do obturador que atinge os 1/8000 segundo.

Melhor ainda, o gabinete está equipado com um sistema de estabilização no nível do sensor, um sistema que opera em cinco eixos. Combinado com ótica estabilizada, economizará nada menos que 8 paradas. O modo burst não fica de fora e o R5 poderá chegar a 20 fotos por segundo.

O foco automático funciona a 100% e, portanto, cobre toda a superfície do sensor. Melhor ainda, se a Canon EOS R5 puder detectar o olho de um assunto, também poderá oferecer rastreamento de animais. E aí, teremos a escolha entre o olho, a cabeça ou o corpo. Fotógrafos de vida selvagem devem apreciar a atenção.

Quando a Canon começou a provocar o caso, a marca colocou muita ênfase no vídeo. Uma escolha lógica. Pela própria admissão de um gerente de produto da marca, a Canon EOS R5 reivindica a herança da Canon EOS 5D Mark II. Uma caixa que mudou tudo.

E é claro que a marca não fez as coisas pela metade neste campo. Na realidade, o R5 tem tudo para seduzir os cinegrafistas mais experientes. A caixa pode, assim, filmar em 8K RAW (sem recorte) a uma taxa de 30 quadros por segundo e a uma taxa de bits de 2600 Mbps ou em 4K a um máximo de 120 quadros por segundo, desta vez com uma taxa de bits de 1800 Mbps. Melhor ainda, a caixa irá filmar diretamente internamente em um cartão CFexpress tipo B. Mas tome cuidado, pois se houver um segundo slot, ele será limitado a um SD. E, claro, você não poderá gravar seus vídeos em 8K nele.

É certo que a Canon alcançou um verdadeiro tour de force. Agora, para filmar em 8K, você também vai querer ter uma boa coleção de cartões CFexpress. De fato, levará cerca de 242 GB para apenas 13 minutos de vídeos.

Claro, existem todos os codecs usuais. A EOS R5 poderá assim filmar em 12 bits 4.4.4, em H.264 ou H.265. O Canon Log está obviamente incluído e isso não surpreenderá absolutamente ninguém.

Mais geralmente, a ergonomia é bastante interessante. O R5 é um pouco maior que um A7 III, mas fica melhor na mão. O aperto é realmente um pouco maior. Os botões caem naturalmente sob os dedos, mas um tempo de adaptação sem dúvida será necessário se você vier de outro time. Estou pensando em particular na seleção de modos que é um pouco especial, o dispositivo não possui roda dedicada. Portanto, você terá que pressionar um botão na parte traseira para percorrer os modos na pequena tela no ombro do estojo.

Bom ponto, porém, o visor é bem definido e chega a 5,69 milhões de pontos. A Canon optou pelo OLED, com 100% de cobertura.

E então, claro, há a tela. A Canon teve a inteligência de montá-lo em uma junta esférica e, portanto, será possível colocá-lo de frente para você quando você segurar o estojo à sua frente. Os vloggers devem apreciar. Nenhuma grande surpresa em termos de conectividade, teremos um fone de ouvido, uma saída para fones de ouvido e todas as portas usuais… e WiFi e Bluetooth.

O preço continua alto, é claro, mas não tanto quanto se poderia pensar. Prevista para o final de julho, a Canon EOS R5 será oferecida por exatamente € 4.499, incluindo impostos sem ótica. O que representa algo como 3600€ HT. Lembre-se, no entanto, que os cartões CFexpress estão longe de ser baratos. O cartão de 512 GB custa assim 629€ e não armazena mais de 29 minutos de vídeo.

A tela está presente apenas no R5, não no R6
A Canon EOS R5 comparada a uma A7 III

Canon EOS R6, a alternativa acessível

Mas a Canon não se limitou ao R5. A marca apresentou uma segunda câmara, a Canon EOS R6. Posicionado também no topo da gama, é muito diferente do seu irmão mais velho.

Menos definido, chega a 20 milhões de pixels de definição, ainda em formato full. Consequência direta, ele irá mais longe em termos de sensibilidade e, portanto, poderá esperar entre 100 e 102400 ISO. O Dual Pixel está presente e o obturador atingirá uma velocidade entre 30 e 1/8000 segundo. Sem alteração no processador, o R6 também é alimentado por um DIGIC X. Ah, e o sensor ainda é estabilizado em 5 eixos.

Inevitavelmente, o 8K não atende a chamada. Na melhor das hipóteses, o R6 poderá filmar em 4K a 60 quadros por segundo para uma taxa de bits de 230 Mbps. Em Full HD, será possível atingir 120 quadros por segundo, desta vez com bitrate de 120 Mbps. Também caímos para 10 bits em 4.2.2. O Canon Log, por outro lado, responde presente.

O visor ainda é do tipo OLED, mas está menos definido e assim chega a 3,68 milhões de pontos. A tela é sempre tátil e, acima de tudo, sempre montada em uma junta esférica.

A ergonomia é bem diferente. Mantemos as mesmas dimensões, mas a tela desaparece em favor de uma roda de seleção de modo. A porta CFexpress também deixa espaço para um slot SD, para dois slots no total. Sem esquecer o WiFi, Bluetooth e a pequena saída HDMI que está bem. A autonomia atinge 510 fotos com tela LCD ou 380 com o visor.

Mais acessível, a Canon EOS R6 será oferecida por € 2.699 incluindo IVA com corpo nu a partir do final de agosto, ou € 2.159 sem IVA. Também pode ser encontrado como um kit com uns bons 24-105 mm e por um preço de 3059 €.

A Canon EOS R5 e sua tela montada em uma junta esférica
Bela coleção, não?

Lentes e extensores de bônus

Mas a Canon não parou nessas duas câmeras. A marca também apresentou dois multiplicadores de distância focal adicionais. O primeiro oferece um rácio de 1,4x e o segundo um rácio de 2x, por um preço fixado respectivamente em 599 e 749 €.

E depois há essas duas teleobjetivas malucas: a RF 6400mm F/11 IS STM e a RF 800mm f/11 IS STM.

O primeiro será oferecido por € 799, um preço realmente louco para esta distância focal. O segundo vai custar-nos 1049€. Em ambos os casos, estamos falando de um peso de 950 gramas e essas duas lentes são obviamente compatíveis com os multiplicadores de distância focal da marca.

A abertura indicada é a abertura mínima. Não será possível abrir mais. Por outro lado, em ambos os casos, o foco automático faz parte dele, com todas as funções específicas do R5 e R6.

Tendo tido a oportunidade de testar brevemente essas duas lentes durante minha visita aos escritórios da Canon França, posso dizer que elas são muito convincentes. E com esses preços, correm o risco de se tornar rapidamente essenciais no mercado.

Para além destas duas teleobjetivas, a Canon apresentou também uma RF 85mm f/2 MACRO IS STM por 699€. No entanto, este último está previsto para o mês de outubro.

Artigos Relacionados

Back to top button