Beidou deu um novo passo

O novo sistema de navegação por satélite da China deu um grande passo à frente. Conhecido como Beidou, o GPS chinês entrou na fase de lançamento em 9 de março. Diante das informações sobre o assunto, os primeiros passos foram marcados por grande sucesso.

Tudo o que resta é esperar que a plataforma esteja totalmente operacional. Ultimamente, engenheiros chineses têm apresentado detalhes sobre essa tecnologia.

Terra vista do espaço.

O 54e O satélite da China foi implantado através de um foguete transportador chamado Longa Marcha-3B para órbita geoestacionária. A decolagem ocorreu no centro de lançamento de Xichang, localizado no sudoeste da China. Depois de gravar esta operação noturna, a CCTV, a televisão central da China, transmitiu o discurso de um funcionário do projeto.

Os designers revelaram informações importantes sobre o modo de operação e campos de ação do Beidou.

Um lançamento de sucesso

O lançamento do Beidou foi bem-sucedido, enquanto o sistema ainda estava em fase de conclusão. Mesmo antes da mídia nacional dar a notícia, os usuários de mídia social assumiram a liderança com imagens dos locais em questão.

As ações preparatórias foram realizadas a montante. O alerta dos moradores das áreas próximas ao centro de Xichang é um deles. Por medo de causar danos devido aos riscos associados à queda, todas as medidas necessárias foram tomadas.

Tecnologia baseada em blockchain e IA

Beidou é uma série de satélites que segue o mesmo princípio do GPS. Trata-se, portanto, de um sistema implementado internacionalmente. Em vez disso, operará em uma série de órbitas geossíncronas usando blockchain de última geração e inteligência artificial. Tudo será processado por criptografia para reunir os blocos de dados analisados.

Os esforços que deram origem a esta revolução continuam até a sua ativação oficial.

“Temos nos concentrado no desenvolvimento constante de novos modos de aplicação e novas formas de empreendimento do sistema Beidou, bem como sua integração com a nova economia”, confirmou Yang Changfeng, o designer-chefe do projeto.

Até maio, a plataforma deve estar acessível e utilizável pelos atores que realizam segurança, direcionamento e orientação. Também será útil para segurança pública, gestão de energia, pesca, transporte, cidades inteligentes e forças armadas.

Artigos Relacionados

Back to top button