Astrônomos vão escanear o céu para tentar encontrar sinais extraterrestres

Pela primeira vez, os astrônomos planejam observar e analisar o céu em sua totalidade em busca de potencial vida extraterrestre inteligente. Especialistas do Instituto SETI, uma organização dedicada à busca de formas de vida alienígenas, estão de fato desenvolvendo novos métodos de ponta para identificar sinais que comprovem a existência de vida extraterrestre.

Segundo informações, o Instituto SETI trabalhará em colaboração com o observatório VLA ou Very Large Array, localizado no Novo México, para realizar seu projeto. O VLA é um dos observatórios mais poderosos do mundo.

No que diz respeito à análise dos dados coletados pelos 28 telescópios gigantes do VLA, os astrônomos se voltarão para um supercomputador que terá a tarefa de detectar a menor assinatura de uma tecnologia alienígena.

O método usado

De acordo com Andrew Siemion, diretor do Berkeley Seti Center, o VLA geralmente é usado para monitorar todo o céu, e a equipe do SETI aproveitará isso para fazer suas próprias detecções.

Os telescópios VLA podem de fato detectar parâmetros como a composição química da atmosfera de um planeta, as estruturas que orbitam as estrelas ou até as emissões de laser. Assim, os cientistas do SETI planejam desenvolver um sistema que possa usar os resultados obtidos pelo VLA para produzir outros dados que podem ser processados ​​por seu supercomputador.

De acordo com o Dr. Tony Beasley, diretor do NRAO ou Observatório Nacional de Radioastronomia, o novo sistema permitirá um uso adicional e importante dos dados que já são normalmente coletados.

Verifique a habitabilidade

Enquanto procuram por sinais extraterrestres, os astrônomos também projetarão modelos que simulam ambientes extraterrestres. Esses modelos podem ajudar na busca de exoplanetas habitáveis.

De acordo com Victoria Meadows, pesquisadora principal do Laboratório Planetário Virtual da Universidade de Washington, é importante entender como reconhecer sinais de habitabilidade ou forma de vida ao observar um planeta. Modelos de computador podem, assim, ajudar a determinar o estado de um exoplaneta em relação à sua capacidade de suportar vida.

Ultimamente, os cientistas estão ocupados tentando detectar sinais que comprovem a existência de uma civilização extraterrestre além do nosso sistema solar. O projeto Breakthrough Listen do SETI também está trabalhando duro e recentemente lançou dois petabytes de dados para cientistas de todo o mundo analisarem. Nesse ritmo, é possível que em breve obtenhamos as primeiras evidências demonstrando a existência de vida extraterrestre inteligente.

Artigos Relacionados

Back to top button