Apple prevê terríveis consequências com a Qualcomm sobre proibição de iPhone na China

Apple prevê terríveis consequências com a Qualcomm sobre proibição de iPhone na China

A Apple está em um laborioso processo de atualização de seus iPhones chineses para uma versão especial do iOS 12, como forma de evitar multas pela importação e venda de dispositivos que um tribunal local da China decidiu infringir duas das patentes da Qualcomm. A esperança é que, ao fazer isso, a Apple não mais ative os recursos patenteados em questão e que seus iPhones não estejam sujeitos a fiscalização.

“Com base nos modelos de iPhone que oferecemos hoje na China, acreditamos que estamos em conformidade”, afirmou a Apple em comunicado à Reuters. “No início da próxima semana, entregaremos uma atualização de software para usuários do iPhone na China, abordando a menor funcionalidade das duas patentes em questão no caso”.

Os dispositivos incluem todos os iPhones lançados em 2015, 2016 e 2017.

A Qualcomm não ficou satisfeita com o desenvolvimento, mas, enquanto continua batalhando com a Apple sobre a validade e a aplicação de suas patentes, afirmou publicamente que deseja também direcionar os modelos iPhone XS, XS Max e XR para obter liminares.

Revisão asiática nikkei relata de suas fontes que a Apple também poderia procurar minimizar as responsabilidades se a proibição for aplicada, reduzindo a dependência das montadoras Foxconn e Wistron e recorrendo à Pegatron – a Qualcomm confirmou que o ODM aparentemente aparentemente licenciou as patentes em questão em nome da Apple. A grande questão a seguir seria se a Pegatron, com capacidade de fábrica da metade do tamanho da Foxconn.

Cortar a produção da Foxconn e da Wistron pode reduzir as vendas da Apple em US $ 5 bilhões em um ano. Se a Apple decidir aumentar os pedidos para a Pegatron, esse impacto poderá ser reduzido em 50% ou mais.

A fabricante de chips alega que está saindo bilhões de dólares em royalties dos fornecedores da Apple, enquanto a gigante do hardware alerta sobre grandes interrupções para fabricantes de celulares que podem estar sujeitos a um dispendioso regime de licenciamento se a Qualcomm conseguir o que quer.

Bloomberg obteve o pedido da Apple em 10 de dezembro no Tribunal Popular Intermediário de Fuzhou, que diz em parte:

A Apple será forçada a se contentar com [Qualcomm], fazendo com que todos os fabricantes de celulares voltem ao modo de cobrança irracional anterior e paguem altas taxas de licenciamento, resultando em perdas irrecuperáveis ​​no mercado a jusante de celulares.

0 Shares