Apple enfrenta processo por fraude de valores mobiliários por manipulação indevida de informações de vendas do iPhone

O final de 2018 da Apple não recebeu uma superabundância de pessoas clamando por novos modelos de iPhone. Pelo menos, não tanto quanto algumas pessoas gostariam (incluindo a Apple). Agora, a empresa está enfrentando um processo de ação coletiva que trouxe uma percepção incorreta de informações de vendas relacionadas ao iPhone.

O processo de ação coletiva contra a Apple argumenta que a empresa não estava interessada em uma queda significativa na demanda do iPhone, que está ligada às vendas fracas na China e ao programa de substituição de bateria do iPhone de 2018 que teve um impacto direto nas atualizações. Essas coisas contribuíram para vendas menos que estelares no primeiro trimestre fiscal de 2019, deixando muitas pessoas descontentes com a virada dos eventos.

O processo também alega que a Apple ocultou o fato de que os pedidos de fornecimento foram drasticamente reduzidos e que os preços de venda foram cortados. Curiosamente, o processo também atrapalha a decisão da Apple de não anunciar mais vendas unitárias específicas como forma de aumentar artificialmente os preços das ações. O processo alega que, apesar do fato de a Apple ter se apresentado e dizer que a demanda do iPhone estava abaixo do esperado, a empresa fez movimentos em segundo plano para aumentar os preços das ações com meses de antecedência.

O objetivo do processo é obter indenizações pagas a pessoas que compraram ações da Apple entre novembro do ano passado e até 2 de janeiro de 2019. O CEO da Apple, Tim Cook, e o diretor financeiro da empresa, Luca Maestri, são apontados como réus no caso. .

[via BusinessWire]

Artigos Relacionados

Back to top button