Android tão seguro quanto iOS de acordo com seu chefe de segurança

andróide é tão seguro quanto o iOS? Bem, se o chefe de segurança do Android, David Kleidermacher, deve ser acreditado, a resposta é sim. Melhor, segundo ele, o SO mobile do Google seria até – até certo ponto – ainda mais seguro que seu principal concorrente. De qualquer forma, é o que aprendemos lendo as declarações feitas pelo interessado à Cnet e em seu relatório de segurança do Android de 2017.

Palavras compiladas pelo 9to5mac, que sugerem uma grande melhora na situação nos últimos anos; e isso apesar das fraquezas intrínsecas do sistema e de um método de implantação de atualizações de segurança que ainda deixa a desejar.

Este é de fato o principal problema apontado pelo chefe de segurança do Android, e não é nenhuma surpresa. Se o Google ativar para corrigir as falhas em seu sistema operacional o mais rápido possível, os patches inventados pela empresa Mountain View são enviados aos vários fabricantes para implantação em seus terminais. Uma implantação que fica totalmente sujeita à sua discrição e sobretudo à sua capacidade de resposta.

Android: um sistema operacional fundamentalmente diferente do iOS, mas igualmente seguro?

Quando alguém descobre uma grande falha no Android, [Google] devem enviar atualizações de software para fabricantes que vendem smartphones Android e são essas empresas que devem implantar as atualizações. Pode levar muito tempo. Ou não chega de jeito nenhum“. explica Kleidermacher.

Outra preocupação é a natureza aberta do Android, que permite aos usuários instalar programas que nem sempre vêm de fontes seguras. Um ponto em que o chefe de segurança do Android insiste – e que parece apresentar como uma vantagem e uma desvantagem do sistema que supervisiona.

Os usuários do Android podem facilmente corromper [leur propre mobile] – baixando software malicioso sem querer – porque não se limitam a baixar aplicativos da Play Store“. Uma área em que a experiência do Android é realmente muito diferente daquela oferecida em dispositivos móveis da empresa da Apple.

É o que reconhece David Kleidermacher: “A Apple pode fornecer atualizações de segurança diretamente para seus iPhones e impedir que os usuários obtenham aplicativos fora da AppStore. Mas o Android não vai na mesma direção do modelo da Apple” acrescentando que esta aparente desvantagem não é inevitável: “É possível corrigir esses problemas reajustando a segurança dos telefones Android. Em outras palavras, mesmo que o Android não tenha sido projetado [à l’origine] com segurança na prioridade número um, podemos adicioná-lo agora“.

O aspecto aberto do sistema operacional também tem, novamente de acordo com Kleidermacher, a vantagem de permitir que certos usuários experientes tragam um precioso retorno para o Google: “Como um projeto de código aberto e global, o Android se beneficia de uma comunidade de defensores que gerenciam, colaborando, para descobrir falhas profundas [du système] e desenvolver patches“.

Na força dessas especificidades e “salto significativo” alcançado pelo Android em termos de segurança durante o ano de 2017, o SO seria: “sem nomes, tão seguro quanto a concorrência” de acordo com seu chefe de segurança. Gostamos de acreditar, mas seria bom se o Google conseguisse resolver – de verdade – seu problema com a implantação de atualizações. Talvez passe pelo famoso “Projeto Treble” que o Google vem tentando (com mais ou menos sucesso) destacar nos últimos meses.

Artigos Relacionados

Back to top button