AMD: APUs combinando Ryzen e Vega finalmente chegam

Vamos lá, AMD lança sua nova linha de APUs Ryzen 2000”Corvo do Corvo“, composta para o momento de duas referências: a Ryzen 5 2400G e Ryzen 3 2200G… e não é muito cedo.

Até agora, os proprietários de CPUs Ryzen tinham que investir em uma placa gráfica dedicada para aproveitar uma tela (o que ainda é melhor quando você monta um PC). Porque sim, os processadores mais recentes da empresa Sunnyvale não incluíam uma iGPU, ao contrário de seus rivais da Intel, o que os tornava chips um pouco atrás em relação aos padrões atuais do mercado. Felizmente, esta era já ficou para trás e especialmente para a AMD, que poderá reinvestir o setor de máquinas de nível básico dedicadas principalmente à automação de escritórios.

O princípio desses dois processadores não é novo, no entanto, pois são simplesmente chips que aproveitam uma parte de CPU Ryzen “padrão” e uma parte gráfica assinada pela Vega. Nada de novo do ponto de vista arquitetônico, mas isso não impede a AMD de ir francamente pelo lado do marketing.

Chips ideais para automação de escritório, mas insuficientes para jogos…

A AMD pode destacar o desempenho gráfico de suas novas APUs, mas tome cuidado para não colocar muita fé nos argumentos da empresa nessa área. Se os Ryzen 5 2400G e Ryzen 3 2200G substituirem os Ryzen 5 1400 e Ryzen 3 1200, lançados há alguns meses, não devem ser vistos como chips capazes de substituir uma placa gráfica em uma máquina dedicada a jogos.

Sem surpresa, aprendemos na ficha técnica dessas duas novas referências que sua iGPU – com tecnologia Vega – só se beneficia de 704 unidades de cálculo no Ryzen 5 e apenas 512 no Ryzen 3 (em comparação com 4 096 em um Radeon RX Vega 64 ). O que torna o jogo possível, mas em condições longe de serem ótimas.

Na realidade, essas duas APUs são projetadas principalmente para automação de escritório e multimídia. E para esse uso, eles podem se mostrar formidáveis ​​para a Intel e suas soluções de nível básico (Pentium e Core i3 em particular). Se a AMD indicar que teve que fazer algumas concessões (esses chips permanecem gravados em 14 nm e se beneficiam apenas de 4 MB de cache L3, contra 8 anteriormente), eles ainda carregam 4 núcleos e têm frequências ligeiramente superiores aos processadores que substituem ( respectivamente 3,6 e 3,5 Ghz nas frequências de base).

A empresa também tem o bom gosto de tornar seus Ryzen 5 2400G e Ryzen 3 2200G AM4 compatíveis. Portanto, não será necessário trocar a placa-mãe para aproveitar essas duas APUs, apenas uma atualização do BIOS será útil, se necessário.

Do lado do preço, o Ryzen 5 2400G é oferecido a 169 dólares do outro lado do Atlântico, enquanto seu irmão mais novo está sendo negociado a 99 dólares.

Artigos Relacionados

Back to top button