AI para restaurar os pergaminhos destruídos pela erupção do Vesúvio?

Hoje, graças à ciência tudo (ou quase) é possível. Atualmente uma equipe de Pesquisadores da Universidade de Kentuckynos Estados Unidos, tem a ideia de usar a inteligência artificial para restaurar os pergaminhos que foram destruídos durante a erupção do Vesúvio que ocorreu em 79 d.C.

Os cientistas tentarão decifrar dois rolos de papiro preservados no Institut de France, em Paris, que foram encontrados no sítio arqueológico de Hercunalum, não muito longe de Nápoles. Para ler estes papiros que foram carbonizado pela erupção do Vesúviopesquisadores da Universidade de Kentucky usarão uma tecnologia que combina inteligência artificial e raios-X.

Em quase dois milênios, esta será a primeira vez que esses papiros serão abertos.

Papiros extremamente frágeis

Em entrevista ao Guardian, Brent Sealespesquisador principal que chefia o departamento de ciência da computação da Universidade de Kentucky, explicou que essa missão será muito delicada, porque o estado em que os papiros estão atualmente os impede de manipulá-los livremente.

“Embora você possa ver em cada porção do papiro que há escritos, para abri-lo, o papiro teria que ser bem macio e flexível – e não é mais”, ele declarou. Ao longo dos anos, os cientistas tentaram muitas vezes abrir os papiros, mas sem sucesso.

Um processo complexo

No entanto, as coisas vão mudar graças a pesquisas realizadas por cientistas da Universidade de Kentucky.

Segundo o Guardian, este último recorrerá ao Fonte de Luz Diamante, um dispositivo que utiliza uma fonte de luz síncrotron capaz de detectar traços de tinta invisíveis a olho nu nesses papiros. Posteriormente, os pesquisadores vai usar inteligência artificial para preencher as partes que faltam.

Segundo Brent Seales, esse processo será muito complexo. “Não esperamos ver os textos imediatamente nas próximas digitalizações, mas eles fornecerão os blocos de construção necessários para permitir essa visualização. Primeiro, veremos imediatamente a estrutura interna dos pergaminhos com definição incomparável, e precisamos desse nível de detalhe para identificar as camadas altamente compactadas nas quais o texto fica. »

A inteligência artificial cuidará então de “amplificar” o sinal de tinta “treinando um algoritmo de computador para reconhecê-lo”.

Artigos Relacionados

Back to top button