A prótese biônica permite que os amputados sintam o pé protético

A prótese biônica permite que os amputados sintam o pé protético

Pesquisadores da ETH Zurich e uma empresa chamada SensArs desenvolveram uma nova interface para conectar uma prótese de perna com os nervos residuais deixados na coxa de dois pacientes com amputação acima do joelho. O objetivo era fornecer às pessoas informações sensoriais do pé protético.

Um desafio que os pesquisadores estão tentando superar é remover a dor fantasma que muitos amputados sentem. Um participante do estudo é Savo Panic, que diz que, apesar de não ter a perna, sente dor no dedão do pé, pé, calcanhar, tornozelo e panturrilha.

A equipe queria ver se o fornecimento de biofeedback da prótese poderia ajudar os amputados a caminhar com mais conforto naturalmente e a reduzir a dor. Nos testes, o pé protético possuía sensores táteis na sola e coletava dados sobre o movimento do joelho, fornecidos pela articulação eletrônica do joelho.

Cada um dos voluntários tinha pequenos eletrodos colocados na coxa que se conectavam aos nervos residuais de lá, e eles ficaram por três meses. A equipe usou algoritmos para traduzir informações dos sensores táteis e de movimento em impulsos de corrente que o sistema nervoso podia entender. Os participantes foram submetidos a testes que alternavam com o feedback e sem. Os resultados desses testes deixaram claro que o feedback foi muito útil e tornou a caminhada menos exigente fisicamente.

A equipe afirma que o consumo de oxigênio do usuário foi reduzido durante a caminhada. A equipe também descobriu que os amputados precisavam se concentrar menos em caminhar com o feedback. O sistema de feedback permitiu que os usuários andassem mais rapidamente também. A interface também pode ser usada para estimular os nervos, a fim de reduzir a dor fantasma que os amputados sentem. A equipe afirma que são necessários mais estudos em casa.

0 Shares