5G representa um perigo para o transporte aéreo de acordo com Airbus e Boeing

A tecnologia 5G definitivamente não está no fim de seus problemas. Após as diversas polêmicas ligadas à provável vigilância chinesa e aos impactos na saúde humana e do planeta, é a vez do setor de transporte aéreo apontar um dedo acusador sobre a nova geração de padrões para telefonia móvel.


Crédito – Pixabay

Desta vez, não se trata de geopolítica ou protestos de alterglobalistas. É mais sobre segurança de viagens aéreas. De fato, a Airbus e a Boeing, que são dois dos maiores fabricantes de aviões, expressaram recentemente preocupação com a implantação da tecnologia.

As novas frequências 5G questionadas

Em seu discurso, Airbus e Boeing não apontam o dedo para a tecnologia 5G como um todo. As duas empresas estão visando as novas frequências 5G que serão implantadas nos smartphones de última geração.

Segundo eles, essas frequências podem interferir nos sistemas eletrônicos essenciais ao bom funcionamento das aeronaves. Isso teria um impacto desastroso na indústria da aviação em geral.

Para evitar que o pior aconteça, a Airbus e a Boeing enviaram uma carta ao secretário americano de Transportes, Pete Buttigieg. Na referida carta, podemos ver que as duas empresas estão muito preocupadas com o novo projeto da AT&T e da Verizon. A empresa planeja lançar um novo espectro 5G nos Estados Unidos no início de janeiro.

De acordo com a Airbus e a Boeing, algumas das frequências emitidas por este novo espectro estão próximas das utilizadas pelos rádio-altímetros. Pela voz de seus respectivos presidentes, as duas empresas sentiram que isso poderia causar interferências que prejudicariam a confiabilidade da aeronave.

Portanto, eles simplesmente querem o adiamento da implantação desse novo espectro 5G pela AT&T e Verizon. Isto, até que as companhias aéreas possam implementar novas medidas de proteção tendo em conta a existência destas frequências parasitárias.

Preocupações que não são novas

Deve-se dizer que em seu planejamento, a AT&T e a Verizon devem iniciar a implantação da nova banda de frequência 5G a partir do início de dezembro. No entanto, as duas empresas de telecomunicações tiveram que adiar a data de início devido à pressão da Administração de Aviação dos Estados Unidos (FAA).

A FAA já havia mencionado na época as possibilidades de interferência, com os instrumentos de medição de altitudes nos aviões, que a implementação deste projeto poderia gerar. Instrumentos cuja falha já causou desastres aéreos no passado.

A FAA emitiu posteriormente diretrizes sobre o uso de instrumentos de medição operando na mesma faixa de frequência do 5G. Medidas que as companhias aéreas consideraram muito caras para elas.

Uma situação que obviamente não combina com a AT&T e a Verizon, que enviaram uma carta à FAA para indicar que prosseguiriam com a implantação em janeiro. No entanto, eles planejam restringir a operação de seus dispositivos até julho de 2022. Isso deve permitir que a comissão americana encontre uma solução definitiva.

Além disso, deve-se notar que os EUA não são os únicos a enfrentar este problema. Também na França, o perigo que o 5G representa para o transporte aéreo é levado muito a sério. As autoridades francesas pediram aos passageiros que simplesmente desliguem seus dispositivos 5G assim que estiverem dentro ou perto de um avião.

A Direção Geral de Aviação Civil até impôs limitações de energia em antenas 5G localizadas perto de 17 aeroportos franceses.

Fonte: TrustedReviews

Artigos Relacionados

Back to top button